Envie para um amigo

Projeto incentiva o convívio com a natureza e alerta para a importância da água

Uma nobre iniciativa tem feito a diferença na vida de muitas crianças da região serrana do Rio de Janeiro. É a ONG Projeto Água, criada há nove anos para conscientizar os pequenos sobre a importância de preservar o recurso mais precioso do planeta. “No Brasil, ainda falta educação ambiental, por isso decidimos contribuir para criar um cenário melhor”, afirma a diretora de comunicação Silvia Firmeza.

Tudo começou com palestras ministradas por voluntários da ONG em escolas locais. A resposta foi tão positiva que o projeto logo ganhou corpo e forma. Sua mantenedora, a Carbografite, fabricante de material de segurança industrial, decidiu expandir o trabalho com atividades especiais, que envolvem reflorestamento, contato com a natureza e conscientização.

Confira, na entrevista a seguir, cada detalhe da iniciativa, um exemplo de que é possível fazer diferente e pensar em alternativas capazes de poupar a água com inteligência e sensibilidade.

 

Planeta Água – Qual é a missão do Projeto Água?

Silvia Firmeza – Conscientizar e instruir a população em geral sobre a importância de preservar, economizar e recuperar a água, por meio do exercício da educação ambiental [veja no vídeo: http://vimeo.com/43944220].

 

Planeta Água – Como surgiu a ideia de desenvolver o projeto?

Silvia – Estamos em Petrópolis, cidade serrana do Rio de Janeiro, e por aqui a água é considerada uma riqueza para nós. Isso já nos dava motivos suficientes para seguir com uma iniciativa nessa área. Para ir além, decidimos analisar a postura do brasileiro em relação ao recurso. Como há muita água no país, as pessoas gastam sem pensar, não têm consciência de que no futuro a qualidade do recurso pode ser afetada. A partir disso, detectamos que o problema estava na educação ambiental, o que nos levou a começar o trabalho nas escolas da região.

 

Planeta Água – Como foi esse começo?

Silvia – Atualmente o Projeto Água engloba cinco módulos com atividades específicas, mas no início tínhamos apenas o Água é Vida. Nossos voluntários visitavam escolas locais para conscientizar crianças, jovens e adultos por meio de palestras, discussões em grupo e reflexões sobre a importância de preservar os recursos hídricos. Começamos assim e esse tipo de atividade se mantém até hoje.

 

Planeta Água – Quais são as outras atividades desenvolvidas?

Silvia – O trabalho começou tímido e ganhou corpo ao longo do processo, então sentimos a necessidade de fazer algo de ordem prática. Foi aí que a Carbografite decidiu comprar uma fazenda aqui mesmo na região de Petrópolis para que pudéssemos desenvolver essas atividades em meio à natureza. Além das palestras, temos hoje os programas de reflorestamento, horta orgânica, jardim sensorial e divulgação em feiras e internet.

 

Planeta Água – Como é a fazenda?

Silvia – A Fazenda Projeto Água tem 210 m² de extensão, sendo que 110 mil m² são destinados exclusivamente ao reflorestamento. O local conta com 32 nascentes de águas catalogadas, quatro lagos artificiais e um natural, área de lazer, horta orgânica e estufa. É um espaço destinado à interação com o meio ambiente.

 

Planeta Água – Todas as atividades mencionadas anteriormente são feitas no local? Conte mais sobre elas.

Silvia – Tirando as palestras nas escolas e a divulgação em feiras e na internet, as outras atividades são realizadas na fazenda. Os alunos cumprem uma programação intensa, sempre em contato com a natureza. Uma delas é o Programa de Reflorestamento, em que cada criança planta uma muda de árvore. Atualmente, temos 7 mil mudas plantadas e mais de 80 mil metros de área reflorestada pelas crianças. Em seguida, depois de muito trabalho e com muita sede, passamos por uma nascente. O momento é muito especial, pois as crianças bebem o líquido e percebem naquele momento que a água é vital. Também fazemos atividades na Horta Escola, etapa em que os pequenos plantam legumes e verduras e podem levá-los para a casa depois da colheita. Outra atividade importante é o Jardim Sensorial, destinado a deficientes físicos e visuais, crianças com dificuldade de aprendizagem, idosos e pessoas que queiram desfrutar dos sentidos de um jardim e aprender sobre plantio, solo, água e plantas. É uma forma diferente e muito eficaz de aproximação com a natureza. O programa foi desenvolvido para receber todos que queiram vivenciar práticas agrícolas e entender as dificuldades de deficientes visuais, pois os visitantes passam por todo o circuito com os olhos vendados. O jardim ocupa uma área de 400 m².

 

Planeta Água – Como é a reação das crianças depois das atividades?

Silvia – É muito positiva. Nosso índice de insatisfação é zero. Ao final dos trabalhos, dissemos para as crianças que agora elas são agentes ambientais e que têm a missão de disseminar a conscientização em casa, com a família e com os amigos. Elas levam a sério, saem muito felizes e multiplicam esse conhecimento.

 

Planeta Água – Como vocês avaliam a importância da educação ambiental?

Silvia – Somos uma gota de água em meio ao oceano. Se nos juntarmos a outras gotas seremos muitas e faremos a diferença. Se cada um fizer um pouco, o futuro da água será ainda mais promissor. Enxergamos que só a educação ambiental pode nos ajudar nessa caminhada. Ter essa consciência é fundamental.

 

Para levar a sua escola ao projeto, basta ligar para (24) 2222-9900 ou fazer a inscrição pelo site: www.projetoagua.org.br

Deixe um comentário