Envie para um amigo

Acesso a agua potável e ao saneamento básico poderia salvar 2,5 milhões de vidas anualmente

Um novo relatório publicado pela WaterAid indica a necessidade de uma ação imediata em relação ao acesso a água potável e saneamento básico a nível mundial, bem como o compromisso contínuo de todos de investir nessas áreas a longo prazo.

David Winder, diretor executivo da WaterAid América afirmou que “A situação atual em que 37% da população mundial ainda vive sem um banheiro é inaceitável.”

O relatório  “Salvando vidas” mostra que o acesso global a saneamento e água permitiria poupar 2,5 milhões de vidas.

Os autores dizem que a maioria dos países em desenvolvimento estão longe de cumprir o Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM) de reduzir para metade o número de pessoas que vivem sem água potável até 2015 – e tampouco irão conseguir cumprir essa meta tão cedo. Alguns lugares, como a África Subsaariana, por exemplo, não serão capaz de cumprir a meta num período menor de 150 anos se continuarem no ritmo atual.

O relatório também diz que “a má qualidade do saneamento básico e falta de acesso à água potável causa 1,4 milhões de mortes infantis a cada ano, devido à diarréia, e que essas mortes podem ser evitadas”. Essa é a segunda maior causa de mortes de crianças no mundo.

Imagem: Jongos @ Flickr

*A WaterAid é uma agência de desenvolvimento internacional que trabalha com assuntos sobre a água e questões de saneamento global.

Deixe um comentário